Powered by
Brasil Tamo Junto e Força Maior
© 2016 TODOS DIREITOS RESERVADOS
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

Rapé Sagrado: xamanismo urbano, magia da vida e plenitude humana

É perdida no tempo a utilização do rapé sagrado por populações tradicionais em todo o planeta. No Brasil, quando os colonizadores chegaram, os nativos já utilizavam em suas pajelanças e rituais coletivos essa ferramenta poderosa como forma de limpar-se, expandir a consciência, conectar com os espíritos e forças superiores.

O rapé sagrado é geralmente um composto que contém um dos mais populares enteógenos – vegetais que levam as pessoas rumo à Fonte (que é o tabaco sagrado) que é misturado com ervas e extratos de poder existentes na natureza. No Brasil muitas vezes a Jurema que também é um enteógeno também pertence a algumas dessas fórmulas sagradas, além das demais dezenas de outras plantinhas e árvores encantadas com suas almas/devas poderosos.

Cada rapé sagrado tem sua história e finalidade, e propicia medicina tradicional para o corpo, a mente e o espírito.

Centenas de problemas quotidianos podem ser minorados ou banidos através do alinhamento da pessoa perante o uso sagrado dessa medicina poderosa. Em rituais coletivos, o coração e a irmanação são a chave, e através dos aplicadores coletivos denominados Tipis ou Tepis todos recebem o rapé, de modo facilitado por uma pessoa habilitada que chancela o zelo e a acuidade ancestral, a aplicação e iniciação na medicina do rapé sagrado.

Em experiências individuais, quando a pessoa se habilita para se aplicar o rapé, os Kuripes ou auto-aplicadores são utilizados individualmente como ferramenta para facilitar a conexão individual ou a conexão consigo mesmo.

Os guerreiros do coração são potencializados com essa medicina, que representa um concentrado de poderes e forças da natureza em prol do encantamento da vida. É marcante a conduta diferenciada - sábia e amorosa dos seres que atuam entre a produção, utilização e aplicação dessa medicina.

O xamanismo urbano muito se baseia na utilização dessa medicina em rodas de cura e de integração com a mãe natureza, e a democratização dessas práticas e ferramentas é de grande importância para a fundação de uma era e período social de pessoas dignas e realmente humanas, equilibradas e expandidas pelos elementos que embasam essa rica tradição.

O rapé sagrado é muito acessível e representa também a garantia de maior saúde e vibração, o que torna as pessoas mais empoderadas perante seus destinos e menos vulneráveis à doenças, que são o pináculo da desarmonia e da densificação de formas pensamento e energia que podem ser dissolvidas por um sopro, o sopro sagrado que encaminha o rapé sagrado até a pessoa, que se torna um Ser – consciente, sarado, expandido.

O estado de consciência xamânico é uma forma de expandir o mentalismo, a firmeza de tudo que é forma de virtude, o cuidado, a beleza, a vitalidade, a reverencia pela natureza e pelo encantamento do humano, além claro da alta frequência vibracional – uma chave para a qualidade de vida e felicidade humana.

Também no combate ao uso do cigarro e drogas é um importante instrumento ancestral à disposição da sociedade contemporânea que é fã do xamanismo urbano.

Vamos abrir os corações e as mentes rumo à democratização do estado xamânico de consciência. Todos temos a ganhar e vibrar com essa possibilidade de cura quântica e redenção do humano e da alta frequência vibracional, de forma universal, ou seja, para todos, despertos e sedentos pela graça da plenitude humana.

 

Alexandre Wahbe

Canal da Teia Infinita de Expansão Humana em 07 de maio de 2019

Quarenta (40) motivos para utilizar o rapé sagrado

O rapé sagrado é uma tradição antiga e, sendo corretamente utilizado leva a pessoa a elevados estados de consciência e vitalidade. Ocorre um desdobramento de fatores positivos na utilização dessa medicina ancestral e sagrada, tais como:

1.    Vencer o medo;

2.    Abrir a intuição e maximizá-la;

3.    Obter força, coragem e determinação;

4.    Obter autoconfiança e assumir autorresponsabilidade;

5.    Obter clareza mental, novas e positivas sinapses, leveza e foco;

6.    Desaprisionar-se de Maya - o mundo das ilusões e os decorrentes afãs por competição, ilusão de vitória, senso de superioridade, senso de inferioridade e o apego material excessivo, provenientes dessa anomalia tão comum;

7.    Vencer o ego negativo e reprogramar a personalidade colocando-a a favor do Ser e da preponderância da intuição que vem do Eu Sou;

8.    Transcender a terceira dimensão limitante e a consciência rasa - digna de compaixão - das massas limitadas e escravizadas em amplos sentidos;

9.    Conectar com dimensões superiores e acessar os infinitos lugares à direita e esquerda do Pai/Mãe Fonte Universal;

10. Conectar com os devas (alma-consciência) de plantas e extratos sagrados;

11. Conectar com a energia de Gaya;

12. Acender a chama do curador de si mesmo;

13. Potencializar-se como curador da humanidade;

14. Conectar com a egrégora das parteiras, benzedeiras, curadores, xamãs e caboclos;

15. Conectar com a egrégora dos velhos magos e sábios e ativar a mestria espiritual;

16. Curar diversos problemas físicos, conforme cada rapé sagrado;

17. Curar diversos problemas mentais, conforme cada rapé sagrado;

18. Curar diversos problemas espirituais, conforme cada rapé sagrado;

19. Elevar e estabilizar a frequência vibracional e a taxa de blindagem áurica (TBA);

20. Limpar-se de cargas negativas espirituais e fechar o canal para obsessão espiritual;

21. Limpar-se de impurezas físicas;

22. Limpar-se de impurezas mentais;

23. Vencer pensamentos negativos e derrotistas e os vícios da limitação da mente;

24. Desconectar dos mundos umbralinos que tutelam e realimentam o ódio, medo, rancor, tristeza, a sexualidade promíscua sem amor, a limitação e ignorância;

25. Conectar com os mundos celestiais dos pensamentos e frequências dos Mestres;

26. Abandonar fortes e mortíferas dependências como cigarro, cocaína ou crack;

27. Renovar a esperança na vida e a conexão com a geometria sagrada universal;

28. Renovar a autoestima;

29. Renovar o limitante projeto de vida inicialmente estruturado em Maya;

30. Conhecer a sua própria e verdadeira missão de vida;

31. Aumentar a cognição/inteligência e alinhar-se com a sabedoria universal infinita, que é sem fronteiras além da fronteira da mente limitante;

32. Abrir o coração e conectar com o Eu Sou/Self ativando a Chama Trina;

33. Preponderar a força coração e equalizá-la para dominar e comandar a mente;

34. Perdoar tudo;

35. Amar mais e infinitamente;

36. Equilibrar e expandir rumo ao Ser.

37. Acessar a malha da sincronicidade;

38. Meditar mais, mais profundamente e tornar-se um ser filosofante e integrado à Fonte;

39. Desapegar e deixar fluir as coisas e pessoas, com equilíbrio vivencial e relacional;

40. Obter o estado alterado xamânico de consciência no dia-a-dia.

Eu Sou Alexandre Wahbe do UCCAI. Faço um monte de coisas e também sou curador.

 

“Zap” 63 98466 9770                    alexandrewahbe@hotmail.com

 Facebook UCCAI